Património Natural

MATA DA SENHORA DA LURDES

GPS: Lat. 40o 41` 13`` N Long. 7o 42`24``W
Mais informação: Classificada como Imóvel de Interesse Municipal, este agradável e relaxante espaço natural dispõe de um circuito de manutenção. Junto à orla do Rio Côja, num pequeno largo existe uma gruta artificial, talhada na rocha de forma vertical coberta com grandes lajes de granito onde está a imagem de Nossa Senhora de Lurdes. Na parte de cima da gruta foi construída, no séc. XX, a Capela da Imaculada Conceição.
Perto da gruta e da Capela, está a barragem da antiga central de produção de energia eléctrica, com o seu canal de cerca de 1600 metros, todo em granito e inserida num belíssimo enquadramento natural. No final do canal, próximo do lugar de Senhora da Ribeira, ficam as instalações da primitiva central hidroeléctrica, uma das primeiras do país.


RIO DÃO
Afluente da margem direita do rio Mondego, o rio Dão é um curso de água de média dimensão que se desenvolve ao longo de 21Km pelo concelho de Penalva do Castelo, atravessando as freguesias de Castelo de Penalva, Sezures, Vila Cova do Covelo, Trancozelos e Pindo, e fortalecido pela Ribeira de Côja e Ribeira do Carapito.
O Dão é um curso de água que prima pela biodiversidade e permite um contacto muito directo com a natureza, sendo inúmeras as espécies animais e vegetais autóctones que fazem do vale deste rio o seu habitat e lhe atribuem um valiosíssimo potencial paisagístico.
Nas águas do rio Dão habitam enguias (Angulla anguilla), bogas (Chondrostoma duriense), bordalos (Leuciscus pyrenaicus), pimpões (Carassius sp.), carpas (Cyprinus carpio) e barbos (Barbus bocagei).
Ao longo do percurso, os olhares mais atentos podem observar diversas espécies da avifauna como, por exemplo, a perdiz-vermelha ou comum (Alectoris rufa), o gaio comum (Garrulus glandarius), a gralha preta (Corvus corone corone), o corvo (Corvus corax), o melro-preto (Turdus merula), o pisco-de-peito-ruivo (Eritathacus rubecula), o chapim-azul (Parus caeruleus), o chapim-de-poupa (Parus cristatus), poupa (Upupa epops), o estorninho (Sturnus unicolor) e o pardal-comum (Passer domesticus).
De mamíferos terrestres, pode-se observar o ouriço-cacheiro (Erinaceus europeus), várias espécies de musaranhos, toupeira (Talpa occidentalis), coelho bravo (Oryctolagus cuniculus), raposa (Vulpes vulpes), doninha (Mustela nivalis), fuinha (Martes foina) e javali (Sus scrofa); no que se refere a anfíbios, salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra), tritão-de-ventre-laranja (Triturus boscai), tritão-verde (Triturus marmoratus), sapo-parteiro-comum (Alytes obstetricans), sapo-corredor (Bufo calamita), sapo comum (Bufo Bufo), rela comum (Hyla arborea), rã-castanha (Rana ibérica) e rã-verde (Rana perezi).
Os répteis, contrariamente aos anfíbios, preferem áreas secas e expostas, de modo a atingirem a temperatura corporal apropriada para a sua actividade. Ao longo do percurso pode-se observar o sardão (Lacerta lepida), a lagartixa-ibérica (Podarcis hispanica), a lagartixa-do-mato-comum (Psammodromus algirus), a cobra-de-pernas-de-três-dedos (Chalcides striatus), o licranço (Anguis fragilis) e a cobra-rateira (Malpolon monspessulanus), entre outros. A cobra-de-água-viperina (Natrix maura) encontra-se associada a habitats aquáticos, ocorrendo principalmente junto a charcos, represas e cursos de água.

AÇUDE DOS CANTOS

GPS: Lat. 40o 40` 15`` N Long. 7o 38`30``W
O Açude dos Cantos pertencente ao rio Dão, localizado num local calmo e de grande beleza natural, possui um envolvente relaxante e fauna e flora variada. Junto ao pontão, existente no local, poderá observar as poldras sobre o rio Dão que permitiam outrora a passagem do rio para a outra margem.
Este açude é um dos pontos de interesse a destacar no Percurso Pedestre “Pr4 Rota dos Ambientes Rurais”, com início junto à Igreja Matriz de S. Pedro, em Castelo de Penalva, bem como, da Rota de Estrada “Lugares da Memória: circuito 1” com início na Igreja da Misericórdia de Penalva do Castelo.
O Rio Dão desenvolve-se ao longo de 21Km pelo concelho de Penalva do Castelo e prima pela biodiversidade permitindo um contacto muito direto com a natureza.

RIO CÔJA

Ribeira portuguesa com nascente junto da aldeia de Coja, a cerca de três quilómetros de Aguiar da Beira – freguesia e concelho.
Desagua na margem direita do Rio Dão, nos extremos dos limites da freguesia de Pindo, no concelho de Penalva do Castelo e da freguesia e concelho de Mangualde, após percorrer cerca de vinte e cinco quilómetros.

RIO CARAPITO

A Ribeira do Carapito, também conhecido por Rio Carapito, é uma ribeira portuguesa que nasce na freguesia do Carapito, concelho de Aguiar da Beira, Distrito da Guarda, no chamado Monte Carapito, muito próximo, aliás, da nascente do Rio Dão.
Depois de percorrer aproximadamente vinte quilómetros, no sentido Sudoeste, as suas águas desaguam na margem esquerda do Rio Dão, na freguesia de Vila Cova do Covelo, concelho de Penalva do Castelo, Distrito de Viseu.

Ribeira de Ludares
Penedo da Boina
Penedo do Sino
Penedo do Cogumelo
Penedo do Balão
Penedo do Fragão
Penedo do Cavalinho
Penedo das Merendas
Penedo do Caldeirão
Penedo do Fontanheira
Penedo das quatro esquinas
Penedo da Lenda da Pastora (Mãe e filho)
Penedo da Pedra da Vegia (tem uma vista agradável)

Siga-nos

Acompanhe-nos nas redes sociais:

    

Contactos

  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  232 640 020
  232 640 021/22
  Avenida Castendo, 3550-185 Penalva do Castelo
N 40º 40´33´´ W 07º 42´07´´