O Pequeno Grande Polegar - Espetáculo de rua baseado na personagem do Polegarzinho, esta é a história de como um sonho pode mudar a vida de qualquer comunidade

TRIGO LIMPO teatro ACERT apresentou no dia 5 de agosto, em Penalva do Castelo, numa Praça repleta de pessoas, mais uma etapa da sua viagem artística-comunitária pelos territórios da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões.


O agigantado engenho cénico (O Pequeno Grande Polegar) celebra coletivamente a festa do teatro pela autenticidade com que interage ativamente com a população local.

A Praça Magalhães Coutinho foi o palco onde a narrativa teatral ganhou vida, adequando-se aos espaços cénicos que a história sugere.

O caráter local foi enaltecido pela integração de texto que apela ao imaginário da localidade, representando o sonho que adormece a criança, cujo universo conflui para a aventura teatral mágica protagonizada pelo “Pequeno/Grande Polegar” e onde a comunidade local interagiu com a equipa artística profissional do grupo.

A narrativa navegou pelo domínio do fantástico tão comum aos contos tradicionais, aludindo à desertificação e à importância do nascer de novas vidas que contrariem infortúnios julgados eminentes. Um hino festivo ao apego à terra e às memórias que lhe dão identidade. Um momento teatral que enaltece a autoestima das populações e que despertou os espectadores para visões esperançosas de futuro.

O Trigo Limpo teatro ACERT continua apostado a explorar artisticamente um género teatral que suscita uma forte adesão de público pela capacidade de gerar o acasalamento artístico entre o tradicional e a contemporaneidade, na construção de resultados artísticos marcantes para a vida cultural de cada localidade.

O SONHO DE UM MENINO DE VERDADE

A história de “O pequeno grande polegar” é o sonho de um menino de verdade e o espaço onde uma pequena-grande criança, a marioneta gigante deste espetáculo, muda a vida de uma comunidade, devolvendo-lhe os sonhos, a esperança e o futuro.

O menino de verdade descobre a sua vocação para a leitura e a escrita, percebendo que descobri-la é abrir as comportas para o infinito de todos os mundos, possíveis e impossíveis, e até para a transformação do mundo de todos os dias.

Adormecendo embalado com um livro, o menino sonha. Numa aldeia onde há muito não nascem crianças, uma gravidez pouco convencional torna-se símbolo de todas as esperanças. A aldeia está ameaçada. Uma voz sem rasto, e ainda assim autoritária, anuncia aos habitantes que a sua terra iria acabar por já não nascerem crianças há muito e, quando todos se preparavam para abandonar a sua terra, uma criança nasce, enfim…

Siga-nos

Acompanhe-nos nas redes sociais:

    

Contactos

  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  232 640 020
  232 640 021/22
  Avenida Castendo, 3550-185 Penalva do Castelo
N 40º 40´33´´ W 07º 42´07´´