Feira/ Festa do Pastor e do Queijo de Penalva do Castelo abre ciclo de certames na valorização de um produto de excelência

Penalva do Castelo voltou a abrir o ciclo anual das feiras da região demarcada de produção do queijo Serra da Estrela, com a 28.ª edição da Feira/Festa do Pastor e do Queijo, nos dias 9 e 10 de fevereiro. Com uma afluência recorde, a presente edição voltou a patentear as potencialidades do concelho, não só ao nível do queijo, mas também do vinho do “Dão de Penalva”, maçã Bravo de Esmolfe e ainda fumeiro, artesanato, licores e doçaria.


Pelas 10:00 horas as entidades oficiais foram recebidas no edifício dos Paços do Concelho, pela Banda Musical e Recreativa de Penalva do Castelo, que os acompanhou em forma de arruada até ao recinto onde decorreu o certame.

Na cerimónia usaram da palavra, Dr. Fernando Martins – Diretor Regional da Agricultura e Pescas do Centro, Dr. Luís Caetano – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Dr. João Azevedo – Presidente do Concelho Regional do Centro, D. António Luciano – Bispo de Viseu, Francisco Carvalho – Presidente da Câmara Municipal de Penalva do Castelo e o Dr. Pedro Marques – Ministro do Planeamento e das Infraestruturas de Portugal.

Francisco Carvalho agradeceu a presença de todos na feira, dirigindo a primeira palavra “para aqueles que promovem os produtos desta terra” destacando os pastores “uma profissão muito difícil, porque as ovelhas exigem tratamento diário, 365 dias por ano, não há férias, nem fins de semana, mas esse esforço é vital para o enriquecimento deste produto”. Aproveitou o momento para enaltecer o trabalho realizado pelo Sr. Ministro “um amigo de Penalva do Castelo” e lançou um pedido ao Governo, para que ajude a finalizar a circular à vila, uma obra que foi iniciada no ano de 2012, com o anterior executivo camarário, mas que, por falta de verbas ficou a meio. A finalização deste troço com cerca de 3 quilómetros é fundamental para dar vida à Zona Empresarial de Esmolfe/Sezures.

Por sua vez Pedro Marques enquadrou o pedido na vontade do Governo em melhorar as acessibilidades aos parques industriais. “O desafio que me foi lançado encontra espaço para ser desenvolvido no Programa Nacional de Investimentos, que tem uma segunda fase de investimentos de acesso às zonas empresariais e que de facto terá de ser feito com o orçamento de estado, porque deixou de haver fundos comunitários para este tipo de obras. Daí termos colocado recursos do Orçamento de Estado, cerca de 100 milhões de euros, para essa finalidade”. Deixou um elogio ao trabalho realizado pela Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões na aproximação de territórios, “não precisamos que uns sejam mais protagonistas que os outros, o exemplo está aqui hoje, com o presidente de Penalva do Castelo, uma região que se une, que acredita que junta pode ser mais forte”. Destacou ainda o crescimento do turismo na região Centro e a riqueza dos produtos locais “temos de mostrar que somos diferentes para melhor, que temos coisas que os outros não têm, e aqui há marcas muito fortes que nós temos de continuar a fazer crescer, transformar em emprego e em vida melhor para a população”. Finalizou com uma “homenagem à capacidade de luta dos pastores” porque sem eles não seria possível estar aqui hoje perante um produto de excelência.

A animação musical foi uma constante, no sábado de manhã subiram ao palco a Tuna de São Martinho de Pindo, Casa do Povo de Esmolfe e a Tuna Realense. Da parte da tarde as Concertinas do Dão iniciaram o momento, seguindo-se o Grupo de Cantares Castro Pena Alba, DanceKids, Grupo de Cantares de Vila Cova do Covelo, e a artista Rosinha. A finalizar este dia atuou o grupo Artur e Márcia.

No domingo, a tarde iniciou com a presença do Rancho Folclórico de Penalva do Castelo, seguiu-se o Grupo de Cantares de Pindo, Associação Rio Côja e a finalizar a Feira/Festa Quim Barreiros com a sua banda que animou os milhares de pessoas presentes na praça. A animação de rua também marcou presença nos dois dias.

Durante a feira foram comercializados milhares de quilos de queijo, fumeiro e outras iguarias.

Foi possível visitar a exposição de trabalhos escolares patente no stand do Município. A exposição está atualmente no átrio da Câmara Municipal até ao dia 1 de março.

Como forma de complemento ao certame e inserido no Fim de Semana do Cabrito, nos dias 9 e 10 de março, realiza-se a iniciativa “Sabores de Penalva” à qual aderiram os estabelecimentos de restauração concelhios, que proporcionarão uma prova de queijo aos clientes, acompanhada da maçã Bravo de Esmolfe.

Esta Feira/Festa é uma aposta da Câmara Municipal na promoção da economia local e na divulgação do património, cultura, gastronomia, turismo e outras potencialidades do concelho.

Siga-nos

Acompanhe-nos nas redes sociais:

    

Contactos

  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  232 640 020
  232 640 021/22
  Avenida Castendo, 3550-185 Penalva do Castelo
N 40º 40´33´´ W 07º 42´07´´